Grito dos Excluídos cobra reajuste salarial de servidores

Movimentos sociais e estudantes participaram neste sábado (7), em Canindé, da 25ª edição do Grito dos Excluídos. O protesto é promovido por centrais sindicais e organizações sociais, e

acontece sempre no dia 7 de setembro de cada ano, e tem por objetivo levar as demandas de setores da população para as ruas de todo o país.

O protesto começou com uma concentração às 7 horas da manhã na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Canindé, e logo houve a caminhada até a Praça Azul. Este ano, o movimento foi ouvido pelas autoridades que estavam no palanque logo após o hasteamento das Bandeiras.

Neste ano, o tema foi “Esse sistema não vale”. Os manifestantes lutam por Justiça, Direitos e Liberdade, contra o atual quadro de desemprego, desigualdade e desmonte das políticas públicas agravados na gestão do atual presidente da República. Entre as reivindicações do Grito dos Excluídos de Canindé 2019 estão o reajuste salarial para servidores que ganham diferente do salário mínimo que não foi concedido pela prefeita Rozário Ximenes e a recuperação de estradas na zona rural.

O Grito dos Excluídos contou com a participação de estudantes da escola do Campo Patativa do Assaré, professores, Straaf, MST, Sindsec e trabalhadores do campo e da cidade.

Veja como foi a avaliação dos diretores do Sindsec e de outros participantes: